Fragmental

9/29/2005

Dá-lhe Rubinho

Perdão pelo título engraçadinho, não pretendo falar de Fórmula 1 hoje.

Mas a analogia é válida (creio). Você lembra de 2003/2002? Lula foi eleito e tomou posse, EUA invadem Afeganistão, Espanha adota o Euro, Ataque dos Clones nos cinemas, Columbia se desintegrou, SARS invade o oriente... e o Struts e outros frameworks MVC para web precoces são a nova onda na comunidade Java.

Enquanto isso, Sun, IBM e demais forçavam na trindade BMP/CMP+SessionBeans+Servlets. E a comunidade surge com esse tal MVC.

Três anos de palestras em JUGs e eventos, melhorias, concorrência e hoje (ontem, eu diria) o MVC está em tudo relacionado a Web. E surge para o mercado o tão falando JSF.

E o que a comunidade está fazendo? Adotando JSF em massa? Depende.

Quem curte seguir a tendência das grandes, está de olho nas IDEs JSF, Struts Shale, MyFaces, blablabla. Quem curte tecnologia está de olho em Rails. Quanto tempo para acontecer o mesmo que acotneceu com o Struts?

Bem, existem mais dificuldades. O Struts:
  • É em Java
  • É da Apache
O Rails:
  • É em Ruby
  • Não á da Apache
Quanto a ser em Ruby, minha dica é: aprenda Ruby. Mas como mesmo se você aprender a codificar em Ruby ainda tem toda a pilha Java EE que não vai ser migrada (nem estou sugerindo que seja), e sua emrpesa não vai usar Ruby tão cedo (a menos que você trabalhe num lugar legal, claro, mas isso é raro).

Então já temos pelo menos duas alternativas "sérias" em desenvolvimento:


Mas o que é o Ruby on Rails e porque ele faz tanto sucesso? É um framework para a criação de aplicações web em Ruby muito simples, prático, produtivo e agradável.

Por que ele é legal? Basicamente porque ele facilita sua vida. Rails é baseado em convenções. Com alguns comandos, você cria sua aplicação completa, se quiser personalizar (e você vai querer...), é só alterar os pontos certos.

Posso fazer tudo com Rails? Obviamente não. Eu estou usando apra aplicações web simples, ams alguém com muita proficiência em Ruby com certeza consegue fazer muito mais. Claro que para aplicações complexas, a paltaforma Java EE continua no seu lugarzinho, mas do jeito que java tende a tornar complexas coisas simples como uma pequena aplicação web CRUD de qualidade razoável ("tudo em JSP" não é opção aqui), essa nova alternativa promete.

Então, quanto tempo?

Engraçado, no debate ontem as pessoas falavam que cultura de "abrir um software para consertar" era coisa de maluco, que nenhum CEO ia querer isso. Um cara da IBM (aliás, ótima palestra! Muito acima da média e infinitamente acima das outras que já assiti da IBM, recomendo que procurem os slides aqui assim que disponíveis), um do governo (aliás foi meu professor há alguns anos... de Java), o Eliziário representando o capitalismo moderno e o Xexéo, acadêmico discutindo Linux. Você pensaria nisso ha dez anos? Que essas empresas usam e apoiam software aberto, em maior ou menor escala?

As coisas andam, e nesse ramo andam rápido demais. Há muito tempo a influência da comunidade no mundo de tecnologia é extremamente forte. Hibernate, Spring, Struts, MySQL, Java, Python, Linux... tudo isso cresceu na vontade das pessoas antes de alguma empresa comprar a idéia. Demora, mas elas compram.

E demora tanto que quando enfim a IBM lançar alguma cosia Rails-like, haverá outra coisa mais hype. E o ciclo se repete. E se repete. E se repete.

Semrpe que penso nesse ciclo lembro de uma pessoa que conheci num banco em um projeto que aprticipei. Cara com mais de 30 anos de profissão,contando os dias para se aposentar. "Eu vou pra praia, vou pra montanha, vou pra PQP, mas NUNCA mais quero saber de computador..."


 
f